Sesau orienta pais sobre atualização do calendário vacinal contra a meningite

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, e pode ser desencadeada por vários tipos de agentes, sendo os principais vírus e bactérias. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) orienta os pais a atualizarem a caderneta de vacinação, visto que as vacinas desatualizadas colocam em risco não apenas a própria saúde, mas, também, podem se tornar um transmissor de doenças, em especial para as crianças, que são mais vulneráveis.

Segundo a assessora técnica do Programa Nacional de Imunização (PNI), Denise Castro, em geral, a transmissão é de pessoa para pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz e da garganta. Em Alagoas, estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), as vacinas pentavalente, a meningocócica do tipo C, pneumocócica 10 e BCG. Enquanto que a pneumocócica 23-valente, está disponível no Centro de Referência para Imunobiológico Especial (CRIER), localizado no Hospital Helvio Auto, no bairro Trapiche da Barra.

”A vacina meningocócica C protege as crianças da bactéria meningocóco C, a que mais causa meningite em crianças de até quatro anos. A vacina deve ser aplicada em crianças menores de cinco anos e um reforço na adolescência, no período dos 11 aos 14 anos”, explicou Denise Castro.

A vacina Pneumocócica 10-Valente é indicada para imunização ativa (ou seja, estimula o sistema de defesa do organismo a produzir anticorpos) de crianças menores de cinco anos contra doença pneumocócica invasiva, pneumonia e otite média aguda e meningite.

A vacina BCG previne contra formas graves da meningite tuberculosa e a forma disseminada. “É aplicada em recém-nascidos e, caso a criança não tenha tomado, a vacina é indicada até os quatro anos, 11 meses e 29 dias de vida. Aparece cicatriz em média após 6 a 12 semanas”, informa Denise Castro.

Já a vacina pentavalente imuniza os bebês contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite. Enquanto a vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) ajuda a proteger contra infecções pneumocócicas causadas pelos tipos mais comuns de pneumococos. A vacina pode ser administrada rotineiramente a pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.

Ainda de acordo com Denise Castro, ela também pode ser administrada a pessoas com idade igual ou superior a dois anos, caso apresentem doenças crônicas; perda de fluido cérebro-espinhal; infecção pelo HIV; doença de Hodgkin; linfoma; leucemia, câncer generalizado, insuficiência renal crônica ou síndrome nefrótica, recebam quimioterapia para câncer ou outro tratamento imunossupressor (incluindo corticoides) ou tenham sido submetidas a transplante de órgãos ou de medula óssea.

Ascom – 12/03/2019

(Visited 2 times, 1 visits today)